Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
Reprodução
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

Nesta segunda-feira (28), em conversa com apoiadores, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), disse que não tem como saber o que acontece nos ministérios, quando falava sobre as suspeitas de fraudes no contrato de compra da vacina indiana Covaxin .

Na ocasião, ele disse que "nada fez de errado" e afirmou que precisa ter confiança nos ministros. O mandatário também disse que, quando foi avisado sobre possíveis irregularidades, "não sabia como estava a questão da tratativa da Covaxin", mas não citou o nome do deputado Luís Miranda (DEM-DF), que depôs à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid na última semana .

"Aqui vem tudo que é tipo de gente. Não posso falar 'você é deputado? Deixa eu ver sua ficha'. Devia receber pouca gente, recebo todo mundo e daí ele que apresentou... Nem sabia como estava questão da tratativa da Covaxin ", disse Bolsonaro .

O deputado disse que encontrou o presidente presencialmente para avisar sobre as possíveis fraudes. Em resposta, Luís Miranda alega ter ouvido que a questão era da alçada do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo .

"Somos 22 ministérios e só o ministério do Rogério Marinho tem 20 mil obras. Tem o Tarcísio (Freitas, ministro da Infraestrutura), tem a Damares (Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos), o da Justiça, da Educação... Não tenho como saber o que acontece nos ministérios, vou na confiança em cima de ministro. E nada fizemos de errado. Agora botam narrativa de que vacina fissura o governo no tocante da corrupção ", disse ele.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários