Senadores Humberto Costa (PT-PE), Renan Calheiros (MDB-AL) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) em coletiva de imprensa sobre a CPI da Covid
Divulgação/Agência Senado/Marcos Oliveira
Senadores Humberto Costa (PT-PE), Renan Calheiros (MDB-AL) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) em coletiva de imprensa sobre a CPI da Covid

Na coletiva de imprensa realizada na manhã desta sexta-feira, 18, no Senado Federal, o relator da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) , afirmou que tem a intenção de investigar diretamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por suas falas e atitudes na pandemia. Segundo Calheiros, um requerimento ainda não teria sido protocolado por falta de definição da competência da CPI diante de chefes do executivo, para convocá-los a depor e para investigá-los.

Ainda assim, ele disse que tem intenção de dar andamento na investigação de Bolsonaro, caso seja entendido que é possível investigar o presidente, mesmo sem a oitiva dele no Senado.

"Se nós pudermos, se a competência favorecer a investigação, eu queria dizer, de antemão, que nós vamos investigar, sim [o Bolsonaro]. Se não pudermos trazê-lo para depor, mas poderemos fazer perguntas por escrito, como em muitas circustâncias compete fazer a presidentes da República. Não podendo investigar, mas aparecendo fatos óbvios, a CPI vai ter que responsabilizar", declarou o senador. Veja:


Renan Calheiros ainda criticou o presidente pela postura que ele vem tendo no combate à pandemia, chamando-o de "louco ". "Nós estamos numa situação muito difícil no Brasil, porque tem um louco na presidência que todos os dias atenta contra a vida dos brasileiros".

Na mesma coletiva de imprensa, Calheiros anunciou a lista de 14 alvos que passam a ser investigados , a partir de hoje, pela comissão do Senado. Constam na lista o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o antigo comandante da pasta, Eduardo Pazuello, fazem parte.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários