Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde e Senador Renan Calheiros refletido na barreira de proteção em acrílico
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde e Senador Renan Calheiros refletido na barreira de proteção em acrílico

O relator da CPI da Covid , senador Renan Calheiros (MDB-AL) , apresentou uma lista em que aponta pelo menos 11 momentos no  depoimento de Mayra Pinheiro em que a secretária de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde entrou em contradição ou prestou "falso testemunho"

O documento elaborado pela equipe técnica de Calheiros aponta que a " Capitã Cloroquina" entrou em contradição com declarações anteriores dela ou do ex-ministro Pazuello .

São eles

  1. Tratamento precoce
  2. Medicamentos para Covid
  3. Pesquisa na área de infectologia
  4. Cloroquina
  5. TrateCov
  6. OMS e Conitec
  7. População pediátrica
  8. Isolamento
  9. Comando do Ministério da Saúde
  10. Crise em Manaus
  11. Falta de oxigênio em Manaus

No levantamento, o relator destaca que Mayra Pinheiro afirmou que o Ministério da Saúde apenas recomendou o uso de cloroquina para tratamento da Covid-19. Mas no Plano Manaus, feito pelo ex-ministro Eduardo Pazuello, é dito "textualmente que se deve incentivar o tratamento precoce ".

Renan acrescenta ainda que, em ofício encaminhado à Secretaria de Saúde de Manaus , a secretária "considera inadmissível não usar a cloroquina e demais remédios.

Em outro tópico, sobre o aplicativo TrateCov , o senador pontua como contradição com o ex-ministro Pazuello ela ter dito que a plataforma não foi hackeada e os dados e conteúdo não foram irregularmente alterados. Duas informações prestadas pelo ex-ministro da Saúde à CPI da Covid.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários