Ex-ministro Eduardo Pazuello e senador Omar Aziz (PSD-AM)
reprodução/tv senado
Ex-ministro Eduardo Pazuello e senador Omar Aziz (PSD-AM)

Na tarde desta quarta-feira (19), o senador e presidente da CPI da Covid no Senado, Omar Aziz (PSD-AM), fez um "apelo" para que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello fale a verdade na Comissão, mesmo estando protegido por um habeas corpus.

"Eu quero alertá-lo, ministro, que o senhor está protegido por um habeas corpus, mas tenha certeza que faltar com a verdade aqui vai trazer consequências muito grandes, porque nós não vamos parar até encontrar a verdade", disse Aziz .

Na ocasião, o senador mencionou um documento que recebeu do Ministério da Saúde dizendo que Pazuello recebeu um telefonema na noite do dia 7 de janeiro avisando que faltaria oxigênio em Manaus (AM) , o que é negado pelo ex-chefe da Saúde. "Isso é uma resposta do Ministério da Saúde, não sou eu que estou falando, tenho o documento aqui".

"Faltar a verdade e tentar tangenciar as perguntas não será bom para ninguém, nem para a CPI nem para Vossa Excelência", continuou Aziz, dizendo que estava fazendo um "apelo" para que  Pazuello dissesse a verdade sobre ter sido comunicado da crise que atingiu Manaus no início do ano.

"Não estou isentando o estado, o estado tem suas responsabilidades, mas acho que é um conjunto de esforços para não deixar acontecer o que aconteceu no estado do Amazonas", afirmou.

Na ocasião, a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) acusou Pazuello de ter mentido durante o depoimento. "A sensação que eu tenho é que o senhor está brincando com a cara da gente aqui na CPI. O senhor já mentiu demais nessa Comissão, eu não tenho nem tempo para elencar todas as mentiras ".

O presidente da CPI, então, interrompeu a senadora e sugeriu que  Pazuello ficasse em silêncio . "Melhor ele ficar em silêncio do que se comprometer cada vez mais. A explicação dele não bate com a do Ministério", afirmou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários