Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)
Reprodução/TV Justiça
Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)

O ministro Luís Roberto Barroso , do Supremo Tribunal Federal (STF), voltou nesta quinta-feira (8) pela proibição da realização de cultos e missas presenciais em meio à pandemia da Covid-19 e destacou "salvar vidas é a nossa prioridade". O placar está em 4 a 1 para que o funcionamento das igrejas seja vetado para evitar contaminações pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Acompanhe a sessão aqui .

"Aliás, é difícil de acreditar que, passado mais de um ano de pandemia, até hoje não haja um comitê médico científico de alto nível orientando as ações governamentais", disse Barroso no início de seu voto.

O ministro afirmou ainda a ciência e os especialistas devem ser seguidos, seja em que área for. "Para calcular probabilidade, estatística. Para calcular curva da doença: médicos. Ainda é tempo, não é tarde demais. Precisamos de orientação para legitimar decisões", argumentou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários