Roberto Jefferson aparece segurando um fuzil
TWITTER/ DIVULGAÇÃO
Roberto Jefferson aparece segurando um fuzil

No domingo (04), o Twitter removeu um vídeo publicado pelo presidente nacional do PTB, o ex-deputado Roberto Jefferson , em que ele convida a população a se armar para enfrentar o “Satanás que quer fechar igreja”. As informações foram apuradas pelo Uol.

A publicação, que foi feita na sexta-feira (02), Jefferson mostrava o que chamou de “ kit anti-satanás ”."Tem um Satanás armado? Esse imediatamente um irmão patriota bota fora de combate”, declarou enquanto pegava em uma arma.

Como parte do kit, o ex-deputado ainda exibiu um taco de beisebol, um chicote e um cabo de enxada e vídeo tinha a mensagem: "Kit anti-satanás. Os comunistas que querem fechar as igrejas. Devem ser exorcizados. (sic)”.

Jefferson já foi condenado no mensalão e há pouco virou aliado do atual presidente Jair Bolsonaro , ele também disse que no vídeo que cristãos deveriam usar uma balaclava na “hora que chegar o Satanás para fechar a igreja”, pois “não pode respirar o ar do Satanás, para não adoecer”.

Você viu?

O ex-parlamentar usa suas redes sociais para desestimular as medidas preventivas impostas nos estados contra a proliferação da Covid-19 , que são apoiadas por autoridades sanitárias. Publicação foi feita no momento em que grupos evangélicos se mostram insatisfeitos com a proibição de atividades religiosas de forma presencial em razão da pandemia.

Liberação aconteceu no sábado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Kassio Nunes Marques, que permitiu a realização de custos e missas presenciais .

Roberto Jefferson já teve sua conta do Twitter bloqueada no fim do mês de março, por defender o desenvolvimento de milícias em Juiz de Fora (MG) para “dar um pau” na guarda municipal. Os agentes de segurança fazem parte da fiscalização de medidas sanitárias durante a pandemia.

Segundo o Twitter, a publicação teria violado as regras de conduta e declara que veta usuários que promovem a “ameaça de violência” e a “glorificação da violência”. Jefferson ainda não se manifestou sobre ocorrido. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários