Governador afastado do Rio, Wilson Witzel
Fernando Frazão/Agência Brasil
Governador afastado do Rio, Wilson Witzel


Wilson Witzel (PSC), governador afastado do Rio de Janeiro, declarou nesta quarta-feira (17) que atrela ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e aos bolsonaristas que o apoiam como os culpados pelo grave momento vivido na pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no país.

O político inclusive citou  pesquisa divulgada pelo Datafolha na última terça-feira (16), que indicou que 54% da população reprovam o desempenho de Bolsonaro na pandemia para criticar o governo federal:

“Infelizmente esse é o retrato que o governo federal tem hoje. A população, inclusive, está entendendo que o problema da pandemia hoje, na última pesquisa (Datafolha) que saiu, é do desgoverno, que infelizmente é um desgoverno negacionista e que está desestruturando a política de saúde em todos os estados”, critica em entrevista ao UOL.

Réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro , Witzel é acusado por irregularidades e desvios na Saúde do Rio, e admitiu que “não acertou 100%” em sua gestão durante a pandemia em 2020, quando esteve à frente do cargo:

Você viu?

“Eu não posso dizer que acertei 100%, mas nós tivemos sérios problemas de fake news, resistência à instalação dos nossos hospitais (de campanha). Tudo fica muito mais difícil quando você tem uma campanha difamatória na imprensa, através de deputados, através de informações falsas”, se defende.

Ainda na visão de Wilson Witzel , falta diálogo entre o Planalto com os governos estaduais, que segundo, ele, “foram abandonados”:

"Os governadores foram completamente abandonados à sua própria sorte. Não se fez no Brasil aquilo que todo país tem que fazer, que é o controle da pandemia pelo governo federal através de diálogo com governadores”.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários