Bolsonaro e Marcelo Queiroga, novo ministro da Saúde
CNN Brasil/Reprodução
Bolsonaro e Marcelo Queiroga, novo ministro da Saúde

O presidente Jair Bolsonaro confirmou a troca no comando do Ministério da Saúde e afirmou ter confiança em Marcelo Queiroga “para dar prosseguimento a tudo que Pazuello fez até hoje”. A fala foi registrada em conversa com apoiadores na porta do Palácio do Alvorada na noite desta segunda-feira (15).

Queiroga aceitou o convite de Bolsonaro após a recusa da cardiologista Ludhmilla Hajjar, que discordou das atitudes da pasta para evitar o contágio de Covid-19 . Ele é o quarto ministro a assumir a Saúde no Governo Bolsonaro e o terceiro durante a pandemia de coronavírus.

“Tem tudo no meu entender para fazer um bom trabalho, dando prosseguimento a tudo o que o Pazuello fez até hoje”, afirmou Bolsonaro

“Muito mais entendido na questão de saúde, vai fazer outros programas que interessem cada vez mais para diminuir as mortes que se abateram o mundo todo”, concluiu.

- Nesta segunda-feira convidei o atual presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Marcelo Queiroga, para assumir o cargo de Ministro da Saúde.

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em  Segunda-feira, 15 de março de 2021

Bolsonaro aproveitou para elogiar o trabalho feito pelo atual chefe da pasta, o general da reserva Eduardo Pazuello. O presidente afirmou que a troca é apenas para aumentar na “agressividade” na política de combate à Covid-19.  

Você viu?

“O trabalho do Pazuello está muito bem feito a parte de gestão foi muito bem feita por ele”, disse.

“Vamos partir para uma parte mais agressiva no tocante ao combate ao vírus”, ressaltou Bolsonaro.

Troca no ministério da Saúde

O cardiologista Marcelo Queiroga pode ser anunciado como novo ministro da saúde nesta terça-feira (16). A informação foi confirmada por fontes do Palácio do Planalto após reunião entre o médico e o presidente Jair Bolsonaro na tarde desta segunda-feira (15).

Queiroga assumirá o lugar de Eduardo Pazuello, pressionado pelas medidas adotadas durante a pandemia de Covid-19. A efetivação do cardiologista deve ser publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (16).

Essa é a quarta troca no comando do ministério da saúde, a terceira durante a pandemia de coronavírus. Em abril de 2020, o então ministro Luiz Henrique Mandetta foi demitido após divergências com Bolsonaro nas diretrizes de combate à doença. Em seu lugar entrou Nelson Teich, que pediu demissão um mês após assumir o cargo, dando lugar ao general da reserva e atual ministro, Eduardo Pazuello.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários