Lula discursa no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC após ter condenações anuladas
Reprodução
Lula discursa no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC após ter condenações anuladas


Mesmo sem exercer qualquer cargo público, o  ex-presidente Lula (PT) age nos bastidores para viabilizar chegadas de novas vacinas no país para auxiliar no combate a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) e antagonizar com Bolsonaro, potencial adversário nas próximas eleições de 2022.

Segundo informações da colunista Bela Megale, há cerca de três meses, o petista se encontrou com o diretor do Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF), Kirill Dmitriev, que financiou as pesquisas de desenvolvimento da Sputnik V , imunizante ruso contra a Covid-19, que tem 91,6% de eficácia.

O convite partiu do diretor do fundo, após ver que Lula integrava um abaixo-assinado que defende que a vacina deve ser distribuída de forma gratuita ao redor do mundo. Chamados pelo ex-presidente, os ex-ministros da saúde José Gomes Temporão, Alexandre Padilha e Arthur Chioro também participaram do encontro virtual.

Padilha, ministro na pasta durante o 1º mandato de Dilma Rousseff , disse que foi Vladimir Putin, mandatário russo quem orientou que Lula fosse chamado para a reunião:

“Dmitriev disse que o presidente Vladmir Putin havia incentivado a reunião com Lula. Foi uma conversa importante, porque abriu a relação do fundo russo com o Consórcio do Nordeste. Deixamos claro que, além do Paraná, com quem eles tiveram as primeiras tratativas, tinham muitas frentes no Brasil a serem abertas. Destacamos que o interesse pelo volume de vacinas era maior e envolvia vários estados brasileiros. Isso fortaleceu o acordo de milhões de vacinas firmado com os estados do nordeste”, diz em entrevista ao Globo.

Você viu?

Na última quinta-feira (11), o Ministério da Saúde acertou a compra de 39 milhões de doses da Sputnik, que deverão ser entregues ao Brasil entre março e julho.

China

No início do ano, em janeiro, quando a China atrasou o envio de IFA (insumos) para a produção da CoronaVac , vacina feita em parceria pelo laboratório chines Sinovac e o instituto Butantan, Lula também agiu nos bastidores para viabilizar a chegada da matéria-prima.

O ex-presidente, juntamente com Dilma Rousseff, enviou uma carta ao líder chines, Xi Jinping o elogiando pela condução frente à pandemia e criticou o presidente Jair Bolsonaro por seu “negacionismo e incivilidade”.

"Consideramos oportuna essa mensagem, como forma de manifestar a nossa certeza de que a antiga e sólida amizade entre os nossos povos não será abalada pelo negacionismo, pela incivilidade e pelas grosserias proferidas pelo presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e seu governo. A amizade e a parceria entre a China e o Brasil são inabaláveis, porque os governos passam, mas os laços que unem os povos são permanentes”, escrevem os petistas na carta endereçada a Jinping.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários