Ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF)
Fellipe Sampaio/SCO/STF
Ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF)

O ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi pego de surpresa com a decisão de última hora de Gilmar Mendes de colocar em pauta o julgamento do ex-juiz Sergio Moro no caso do tríplex do Guarujá envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele estava acompanhando os pais que estão com Covid-19 em São Paulo. A informação é da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo .

Segundo Nunes Marques, seus filhos também tiveram que ficar isolados por causa da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Durante o julgamento desta terça-feira (9), o ministro pediu vista do caso , o que significa que ele quer mais tempo para fazer a sua análise. Aos colegas de Corte, Nunes Marques disse que nunca julgou esse caso.

"Preciso pedir vista para a analisar o conteúdo desse processo de extrema relevância e já adianto que não me causa nenhum constrangimento ouvir os votos dos demais", afirmou.

Ao ter ficado sabendo do julgamento de última hora, pessoas próximas ao ministro disseram que não seria simples elaborar um voto da importância da questão apresentada de um dia para o outro. O motivo principal seria a necessidade que ele tem dividir as atenções com a família.

A decisão de levar o processo a julgamento foi tomada pelo Gilmar Mendes na segunda-feira (8), depois que Fachin decidiu anular as condenações de Lula em Curitiba por avaliar que a 13ª Vara Federal seria incompetente para julgar o ex-presidente .

Ao contrário dos outros quatro ministros da 2ª Turma, que debatem o assunto há pelo menos um ano e já tinham seus votos prontos, Kassio Nunes teria que se debruçar sobre ele praticamente pela primeira vez.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários