Temer e Maia são apontados por Cunha como dois dos principais articuladores do impeachment de Dilma
Alan Santos/PR
Temer e Maia são apontados por Cunha como dois dos principais articuladores do impeachment de Dilma

No próximo mês de abril, está previsto o lançamento do livro “Tchau, Querida — O Diário do Impeachment”, de autoria do ex-deputado federal Eduardo Cunha e que promete revelações bombásticas sobre integrantes deste e do governo anterior. Logo na introdução, ele aponta que o ex-presidente Michel Temer, o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o  deputado federal Baleia Rossi foram os responsáveis pelo impeachment de Dilma Rousseff.

Segundo informações do blog da jornalista Mônica Bergamo, que teve acesso ao conteúdo do texto, Cunha afirma que a queda da ex-presidenta só foi possível por causa da articulação de Temer : "sem ele, não teria havido impeachment . Ele foi o militante mais atuante e importante. Simplesmente quis e disputou a Presidência de forma indireta".

Ainda de acordo com a publicação, o ex-deputado afirma no texto que Maia também foi um dos articuladores do processo e "um dos principais militantes", além de dizer que o presidente da Câmara sempre buscou os holofotes desta ação: "não tinha limites para sua ambição e vaidade". Inclusive, teria sido em seu apartamento a realização das tratativas "cruciais" para a queda de Dilma .

Por fim, ao falar sobre Baleia Rossi,  Cunha diz que o candidato do centrão ao posto de próximo presidente da Câmara também participou da queda da petista porque tinha "força junto a Temer", por quem foi patrocinado para se eleger líder nacional do PMDB, e "só não foi ministro" porque estava envolvido em suposto caso de fraude na merenda escolar de São Paulo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários