Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
O Antagonista
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

Em conversa com apoiadores no ‘cercadinho’ do Palácio da Alvorada, em Brasília, nesta sexta-feira (22) o  presidente Jair Bolsonaro voltou a questionar a eficácia da CoronaVac , vacina contra o novo coronavírus (Sars-Cov-2), produzida pelo Instituto Butantan em parceria com laboratório chines.

Apesar da Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ) ter dado parecer favorável, baseado em análise técnica para o uso emergencial da vacina, Bolsonaro disse que as pessoas estão "preocupadas":

“O que eu tenho observado é que ainda tem muita gente que tem preocupação com a vacina, e deixo bem claro, ela é emergencial, eu não posso obrigar ninguém tomar a vacina, igual um governador falou há um tempo atrás que iria obrigar. Eu não sou inconsequente a esse ponto, ela tem quer ser voluntária, afinal de contas não está nada comprovada cientificamente ainda”

Na fala, o presidente voltou a alfinetar, de maneira indireta, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), rivais políticos que  podem vir a se enfrentar nas eleições presidenciais em 2022.

Você viu?

Ainda nesta sexta (22), segundo informações do jornal Estado de S.Paulo, Bolsonaro teria proibido ministros de atenderem pedidos de Doria, sob  ameaça de “cartão vermelho”.

Após atrasos, o chefe do executivo recebeu, enfim, as 2 milhões de doses vacinas de Oxford vindas da Índia.

Segundo o site Our World in Data, desde o início da vacinação no país, no último domingo (17), 245 mil pessoas já receberam a primeira dose da CoronaVac em todos os estados brasileiros.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários