Maia
Reprodução
Presidente da Câmara disse que Bolsonaro "não tem dimensão humana"

Nesta terça-feira (29), após o ex-presidente Lula sair em defesa da petista Dilma Rousseff , que novamente foi alvo de comentários de Jair Bolsonaro, foi a vez de Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, e Baleia Rossi, candidato a sucessão no cargo, se posicionaram contra a fala do presidente. Ambos apontaram a "falta de humanidade" ao ironizar tortura sofrida pela petista nos tempos da ditadura .

" Bolsonaro não tem dimensão humana. Tortura é debochar da dor do outro. Falo isso porque sou filho de um ex-exilado e torturado pela ditadura. Minha solidariedade a ex-presidente Dilma . Tenho diferenças com a ex-presidente, mas tenho a dimensão do respeito e da dignidade humana", escreveu Maia em postagem nas redes sociais.

Mais cedo, Rossi , que é deputado federal e presidente nacional do MDB, já havia criticado Bolsonaro , afirmando que o tema "não é sobre esquerda, centro ou direta. É sobre a dignidade humana, é disso que se trata. Nossa solidariedade à ex-presidente Dilma Rousseff. Tortura nunca mais".

"Homem sem honra"

Na noite da última segunda-feira (28), o ex-presidente Lula também utilizou as redes sociais para criticar a declaração, afirmando que Bolsonaro é um "homem sem honra" e jamais terá a coragem de Dilma. Além disso, afirmou que o "Brasil perde um pouco de sua humanidade a cada vez que Bolsonaro abre a boca".

A própria ex-presidenta repudiou a fala  e, por meio de nota oficial, criticou o líder do executivo: " Bolsonaro  não respeita a vida, é defensor da tortura e dos torturadores, é insensível diante da morte e da doença, como tem demonstrado em face dos quase 200 mil mortos causados pela Covid-19 que, aliás, se recusa a combater".

    Leia tudo sobre: Lula

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários