Senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ)
Beto Barata / Agência Senado
Senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ)

Após a ministra do Supremo Tribunal Federal ( STF ), Cármen Lúcia, determinar na última sexta-feira (18) que a Procuradoria Geral da República (PGR) investigue a suposta interferência da Abin no caso das rachadinhas de Flávio Bolsonaro , uma quebra de sigilo de linhas telefônicas poderia confirmar a acusação.

Na última terça-feira (22), o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, defendeu que as investigações sejam feitas de forma “independente” pela Polícia Federal , que é subordinada ao ministério.

Segundo juristas, peritos, policiais federais e agentes da Abin (agência brasileira de inteligência) ouvidos pelo UOL, seria “razoavelmente fácil” comprovar se houve ilegalidade por parte da agência com uma quebra de sigilo . Contudo, existem entraves.

O atual diretor da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, é próximo de Alexandre Ramagem , diretor da Abin , e segundo denúncias, o mandante da produção de relatórios em defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ)


Em reportagem divulgada pela Revista Época, foi revelado que a agência, comandada por Ramagem, amigo da família Bolsonaro,  produziu relatórios para que Flávio se defendesse das acusações de repasses ilegais no período em que era deputado estadual pelo Rio de Janeiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários