Governo de São Paulo teme
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Governo de São Paulo teme "guerra de vacinas" e uso político da Anvisa por parte de Bolsonaro

O governo de São Paulo  irá pedir o uso emergencial da vacina CoronaVac contra o novo coronavírus (Sars-Cov-2) à Anvisa até terça-feira (15) da semana que vem.

Ainda nesta quarta-feira (9), o governador João Doria (PSDB) declarou que a agência de vigilância sanitária "com certeza" irá aprovar o registro da vacina:

“Tenho certeza que haverá a aprovação oficial. Eu não tenho dúvida nenhuma de que uma vacina que já se mostrou segura em testes na Europa e na Ásia não será aprovada aqui”, declarou Doria. “Testes com 13.500 pessoas , entre médicos e paramédicos foram realizados e o resultado oficial será entregue à Anvisa no dia 15 de dezembro, terça-feira que vem”, finalizou, declarando que enviará a Anvisa na próxima terça os resultados da fase 3 da vacina.

O ministro da saúde Eduardo Pazuello , que bateu boca com o governador paulista durante reunião virtual na última terça (8), declarou no encontro que irá estudar a compra da vacina chinesa caso haja demanda para isso, mas resguardou que a "anvisa aguarda o resultado da terceira fase".

No dia seguinte, contudo, após muitos desencontros de datas, Pazuelo declarou que imunização da vacina da Pfizer/BioNTech poderá ser iniciada ainda em dezembro. O governo comprou 70 milhões de doses.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários