urna
Antonio Augusto/Ascom/TSE
Urna eletrônica

O grupo de partidos que formam o chamado 'Centrão', que é uma base política na Câmara dos Deputados do governo do presidente  Jair Bolsonaro  (sem partido), vai administrar mais de 2,6 mil municípios do país a partir do próximo ano, o equivalente a 47% das cidades brasileiras.

O número de moradores nesses municípios, quando somados, é de cerca de 78 milhões de pessoas, o que representa aproximadamente 40% da população do país. O desempenho do Centrão é visto com atenção por lideranças políticas de olho nas eleições de 2022.

Isso porque o bloco agora tem capilaridade em centenas de municípios e pode ajudar a mobilizar eleitores na corrida presidencial de 2022, especialmente no que diz respeito a angariar votos para Bolsonaro.

Números 

Atualmente, o PP, PSD, PL, PTB, Republicanos, Cidadania, PSC, Solidariedade, Avante, Patriota e Pros fazem parte do grupo que compõe o Centrão.

Entre os 11 partidos que formam o grupo, PP, PSD e PL são as legendas com o maior número de prefeituras conquistadas. Enquanto o PP venceu em 685 municípios, o PSD vai administrar 655. O PL ficou em terceiro lugar, com 345 prefeituras.

Veja a lista na sequência:

  1. PP com 685 prefeituras 
  2. PSD com 655 prefeituras 
  3. PL com 345 prefeituras 
  4. PTB com 212 prefeituras 
  5. Republicanos com 211 prefeituras 
  6. Cidadania com 139 prefeituras 
  7. PSC com 115 prefeituras 
  8. Solidariedade com 94 prefeituras 
  9. Avante com 82 prefeituras 
  10. Patriota com 49 prefeituras 
  11. Pros com 41 prefeituras 


Em número de moradores, entretanto, o  PSD estará à frente do PP. A legenda vai comandar, por exemplo, Belo Horizonte, onde o prefeito Alexandre Kalil venceu ainda no primeiro turno, com 63% dos votos.

Se avaliados somente a população, o PSD vai comandar cerca de 23 milhões de pessoas, enquanto o PP cerca de 16,6 milhões.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários