Flávio Bolsonaro e a esposa Fernanda Bolsonaro
Reprodução
Flávio Bolsonaro e a esposa Fernanda Bolsonaro


O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) em investigação do caso Queiroz identificou 146 depósitos em dinheiro vivo de origem desconhecida, totaliando R$ 255,5 mil, nas contas do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) e da sua esposa, Fernanda Bolsonaro. Segundo os procuradores que investigam o caso, Flávio teria usado as quantias para quitar as parcelas de um apartamento na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.


As informações foram divulgadas pelo jornal O Globo,  com base na denúncia do MP-Rj encaminhada ao Órgão Especial do tribunal de Justiça do Rio, ao qual tiveram acesso. As evidências estão no âmbito da investigação do caso Queiroz, que apura o esquema de " rachadinha " no gabinete do ex-deputado estadual e filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante o seu mandato na  Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Flávio é apontado como líder da organização criminosa e ainda por peculato, lavagem de dinheiro. Em resposta ao Globo, a defesa do senador qualificou as revelações apuradas pela investigação como 'insustentável". As contas de Flávio e da esposa tiveram o sigilo bancário quebrado, por isso os depósitos foram identificados. 

"Não encontram lastro em valores sacados nas contas do casal", ou seja, " não provêm de suas fontes lícitas de renda, mas sim dos valores desviados da Alerj pelos 'assessores fantasmas', por intermédio de operadores financeiros", dizem trechos da denúncia. O ex-assessor de Flávio e amigo pessoal da família Bolsonaro, Fabrício Queiroz, em prisão domiciliar desde julho deste anos, também é citado. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários