Na época, Ernesto Araújo teve que ir ao Senado prestar explicações sobre a visita de Pompeo.
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Na época, Ernesto Araújo teve que ir ao Senado prestar explicações sobre a visita de Pompeo.

O Itamaraty decidiu manter em sigilo, até 2035, telegramas diplomáticos sobre a visita de Mike Pompeo a Roraima. O secretário de Estado americano veio ao Brasil em setembro e esteve na fronteira com a Venezuela. As informações foram dadas pela Folha de S. Paulo .

No dia 18 de setembro, durante a campanha eleitoral dos Estados Unidos, Mike Pompeo visitou instalações da Operação Acolhida, em Roraima, acompanhado de Ernesto Araújo , ministro das Relações Exteriores, e ambos teceram críticas ao ditador Nicolás Maduro. A viagem não foi bem vista por políticos brasileiros e ex-chanceleres .

O ministério das Relações Exteriores classificou como secretos telegramas trocados entre a embaixada do Brasil nos Estados Unidos e a sede do Itamaraty em Brasília que documentaram informações como a preparação e os motivos da visita. Além disso, os registros posteriores sobre as impressões da viagem também ficarão em sigilo.

Um dos telegramas é do dia 9 de setembro e ficará em sigilo até 2035. Outro é do dia 15 de setembro e o sigilo é válido até 2025. Há, ainda, telegramas de 24 de setembro e 9 de outubro que permanecerão em segredo até 2035.

O Itamaraty não esclareceu os motivos pelos quais tornou os registros secretos.

De acordo com a Lei de Acesso à Informação (LAI), um documento pode ser categorizado como ultrassecreto, secreto e reservado quando há riscos “à segurança do Estado ou da sociedade”.

O ministério forneceu à reportagem da Folha outros quatro telegramas sobre a visita do secretário do Trump , mas se tratam apenas de reproduções de notas oficiais emitidas pelo Departamento de Estado americano.

Assim, nenhum deles apresenta informações novas ou relevantes sobre os motivos da visita de Pompeo, as impressões e expectativas das autoridades ou assuntos abordados.

    Veja Também

      Mostrar mais