Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores.
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores.

Nesta segunda-feira (21), o Senado Federal aprovou o convite para que Ernesto Araújo , ministro das Relações Exteriores, preste esclarecimentos sobre a visita do secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo a Roraima .

Pompeo compareceu, na última sexta-feira (18), às instalações da Operação Acolhida, que recebe imigrantes venezuelanos em Boa Vista. A visita, que ocorre cerca de um mês e meio antes das eleições estadunidenses, não foi bem vista por parlamentares brasileiros.

Senadores avaliam que, com as críticas de Pompeo à Venezuela, houve uma interferência indevida e um desrespeito à soberania brasileira . Para Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, a visita foi uma “afronta às tradições de autonomia e altivez” da política externa do Brasil.

O presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado (CRE), Nelson Trad (PSD-MS), afirmou que Ernesto Araújo estará no Senado às 10h nesta quinta-feira (24).

O convite para que Araújo preste esclarecimentos ao Senado acontece em um momento em que senadores sinalizaram uma retaliação.

Os parlamentares ameaçaram não analisar os nomes dos diplomatas indicados para embaixadas brasileiras no exterior e representações em agências internacionais. Para assumirem os cargos, uma das etapas necessárias é que os nomes indicados pelo governo sejam aprovados no Senado.

“Queriam cancelar as sabatinas, mas achei que o desgaste seria muito maior. Os embaixadores precisam ocupar seus postos. E o ministro se colocou para dar explicações ”, disse Nelson Trad ao blog da jornalista Andréia Sadi.

    Veja Também

      Mostrar mais