Douglas Garcia e mais 33 estariam envolvidos em esquema de linchamento virtual
Reprodução/Facebook
Douglas Garcia e mais 33 estariam envolvidos em esquema de linchamento virtual

As investigações da CPMI das Fake News identificaram, ao menos, 33 endereços IP ligados a três funcionários do deputado estadual Douglas Garcia, do PTB, que estariam envolvidos em um suposto esquema de 'linchamento virtual', com a propagação de fake news.

A informação foi dada pelo deputado Alexandre Frota, no depoimento prestado à Polícia Federal, no último dia 29, no inquérito que apura o financiamento e divulgação de atos antidemocráticos.

As informações delatadas por Alexandre Frota implicam diretamente a Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro. No caso de Eduardo, os investigadores identificaram IPs de computadores supostamente responsáveis pela 'orientação, determinação e divulgação' de 'fake news' e ataques virtuais em dois endereços ligados ao filho do presidente.

Alexandre Frota também apontou que Eduardo Bolsonaro é apoiador do movimento, tendo compartilhado ataques à ex-aliada de Bolsonaro, Joice Hasselmann, que foram criados pelo Brasil Conservador.

Frota ainda afirmou que os três assessores de Douglas Garcia são ligados ao movimento Brasil Conservador, que é coordenado pelo deputado estadual e Edson Pires Salomão, seu ex-chefe de gabinete.

Este último é investigado no inquérito das fake news no Supremo e foi alvo de buscas em maio no âmbito das apurações. Na época, os agentes apreenderam computadores no gabinete de Garcia na Assembleia Legislativa de São Paulo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários