Talíria Petrone
Ricardo Albertini/Câmara dos Deputados
Talíria era amiga de Marielle na Assembleia do Rio de Janeiro e hoje é deputada federal

As Nações Unidas (ONU) foram acionadas pela deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ) após a parlamentar receber ameaças de morte . Explicações do governo brasileiro sobre o seu caso e também sobre a morte de Marielle Franco , além da proteção às mulheres brasileiras ameaçadas por violência, estão entre os pedidos feitos às relatorias de direitos humanos da entidade. As informações são da coluna de Jamil Chade, do UOL.

A carta foi submetida em 22 de setembro e direcionada para Agnes Callamard, com denúncias sobre execuções sumárias. A denúncia feita por Talíria também foi enviada para a relatora sobre racismo da ONU , E. Tendayi e Mary Lawlor, relatora sobre a situação de defensores dos direitos humanos.

"Somos o país que mais mata defensores e defensoras de direitos humanos no mundo e, sem dúvida, a violência política é uma expressão do tamanho da fragilidade da democracia brasileira", afirmou. "É muito grave o que ocorre no Brasil neste momento", disse a parlamentar para o UOL.

Talíria diz que o governo estadual e federal negaram qualquer tipo de proteção diante das denúncias. Se a denúncia realizada para ONU for acatada, ela irá se transformar em uma cobrança formal de especialistas ao governo e pressionará que as autoridades ajam.

    Veja Também

      Mostrar mais