Marina Helou
Iury Carvalho / Divulgação
Deputada estadual Marina Helou (Rede) vai entrar na disputa pela Prefeitura de São Paulo

A candidata à Prefeitura de São Paulo Marina Helou (Rede) , disse que é necessário implementar um modelo de desenvolvimento sustentável no município e que a ideia não tem a ver com "abraçar árvore e fazer piquenique no parque", mas realizar ações integradas entre inteligências tecnológicas, saneamento básico e saúde pública no modelo de gestão. A declaração foi feita na manhã desta quarta-feira (30) durante a live do portal iG com os elegíveis da capital paulista.

Eleita em 2018 como deputada estadual com quase 40 mil votos, Marina é uma das lideranças apoiadas pelo movimento RenovaBR. Entre as propostas da candidata voltadas para o meio ambiente, está a discussão sobre a despoluição do Rio Tietê .

"Eu tenho 33 anos. Me envolvi na discussão do Rio Tietê enquanto deputada estadual. Dentro desse processo estive com pessoas que estão há 34 anos discutindo o mesmo assunto".

A candidata reforça que é preciso mudar a forma de fazer política para que os problemas sejam solucionados. "A gente precisa pensar em formas mais inteligentes de pensar a cidade. Não adianta olhar somente para o rio e não para a cidade. Assim, não vamos resolver o problema", explica.

Além da bandeira verde, Helou defende uma maior ampliação das mulheres no cenário político, além de candidatos periféricos e pessoas negras. "Não da mais pra fazer a mesma coisa de sempre e esperar resultados diferentes", esclarece.

Descentralização

A descentralização de investimentos na capital paulista está entre as pautas de gestão de Marina Helou . Na visão da candidata, é preciso que haja oportunidades de emprego e moradia nos bairros fora do centro de São Paulo. Marina explica que para construir essas oportunidades é preciso ouvir o que dizem as periferias.

Minhocão abaixo

A candidata do Rede quer a demolição do Elevado Presidente João Goulart por entender que a transformação do espaço em parque não muda totalmente os problemas da regiçao. Helou diz que ainda que a ideia de um parque seja “muito simpática”, a parte de baixo do Minhocão continuaria sem iluminação e perigoso.

A solução, para ela, seria derrubar com segurança o elevado. Ela compreende que será difícil devido ao baixo orçamento, gerado pela crise da pandemia. Para driblar a falta de verba, a ideia da candidata é a criação de um fundo para investir no projeto de melhorias para a região.

Volta às aulas na pandemia

A espera para o retorno das aulas na educação básica é vista como um "erro grave" da gestão municipal para Helou . A candidata reforça que a educação básica precisa ser feita de maneira presencial para que o desenvolvimento cognitivo e social das crianças não seja comprometido.

"A primeira infância é a etapa da vida é onde a gente aprende e desenvolve a nossa capacidade cognitiva e emocional”. Ao mesmo tempo, a candidata explica que o governo municipal ficou devendo um protocolo para que a volta às aulas ocorresse de maneira segura, como a verificação das necessidades básicas de cada unidade de ensino. "A gente está falando de um impacto gigantesco para os alunos", disse sobre a ausência das aulas.

Cracolândia

O uso abusivo de drogas e o tráfico localizado no centro de São Paulo será avaliado sob a ótica de planejamento a longo prazo, conforme prometeu Marina Helou, caso seja eleita. A candidata explica que é "impossível ter resultados concretos" sem a ajuda de igrejas, sociedade civil da polícia e do estado, para combater a situação, associadas à oportunidades para os usuários.

"A gente precisa combater as grandes cadeias do tráfico” e complementou: “Não adianta tirar o problema do centro e ele se espalhar por toda a cidade”.

Zeladoria

A parceria com a população é vista como um fator decisivo para que a zeladoria da cidade de São Paulo possa melhorar, de acordo com Marina Helou. A aposta é em planos regionais que possam resolver as particularidades de cada uma das áreas paulistanas. “Construir soluções com as pessoas que tragam a corresponsabilidade de que a cidade é nossa é um grande pilar de como a gente vai melhorar a zeladoria urbana”.

    Veja Também

      Mostrar mais