Funcionário Fantasma Flávio Bolsonaro
Domingos Peixoto / Agência O Globo
Hudson está sendo investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro

Um funcionário fantasma do gabinete do senador  Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), pagou R$ 38 mil em dinheiro vivo por um terreno em Resende, em 2008. Os vendedores do terreno foram o então deputado Jair Bolsonaro , hoje presidente, e Ana Cristina Siqueira Valle, su segunda ex-esposa. Em valores corrigidos, o valor pago corresponde a R$ 71 mil reais hoje. As informações são do Estadão.

Identificado como Guilherme dos Santos Hudson pelo Ministério Público do Rio, o funcionário fantasma é casado com Ana Maria Siqueira Hudson, tia de Ana Cristina.

O Ministério Público do Rio afirmou que em 2018 o coronel da reserva fez um saque de R$ 15 mil, o que equivale a 74% dos valores recebidos ao longo de dois meses em que esteve no gabinete de Flávio Bolsonaro como funcionário.

A ação reforça a teoria do MP do Rio sobre o repasse dos valores recebidos do salário para os chefes. Já Ana Maria fez um saque de R$ 430 mil, o que representa 43% de tudo o que teve como servidora do gabinete.

Um filho e duas noras do coronel da reserva, além dele mesmo, foram empregados como funcionários fantasma no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

    Veja Também

      Mostrar mais