Flávio Bolsonaro
Beto Barata/Agência Senado
Defesa de Flávio lamentou a hipótese de desobediência.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) recebeu uma representação contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Ela foi enviada pelo procurador Eduardo Benones, do Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (MPF-RJ).

Benones diz que o senador tentou atrapalhar as investigações sobre supostos vazamentos da Operação Furna da Onça. Na representação, o procurador pede que a PGR investigue se houve crime de desobediência. O documento diz que Flávio teve a intenção de não comparecer a uma acareação com o empresário Paulo Marinho, que aconteceria na última segunda-feira (21).

O procurador diz ainda que ninguém pode se eximir da obrigação de colaborar com investigações criminais. A presença de Flávio na acareação seria na condição de testemunha. A decisão sobre a investigação será tomada pelo procurador-geral da República, Augusto Aras.

O senador alegou motivos de agenda para não comparecer e pediu para que o procedimento fosse remarcado para outubro. Em nota publicada na segunda, a defesa de Flávio disse lamentar a hipótese sobre a suposta desobediência do senador.

    Veja Também

      Mostrar mais