Brasília
Agência Brasil
Ano com maior número de repasses foi 2015, o primeiro do segundo governo de Dilma Rousseff.

Entre os anos de 2010 e 2019, quase 40 mil cargos comissionados – que não exigem concurso e são preenchidos por nomeação – foram entregues a partidos políticos. Os dados foram divulgados pelo Metrópoles nesta quarta-feira (23). As informações divulgadas pelo jornal mostram que, em média, 12% (39.950) dos comissionados eram filiados a partidos políticos.

Segundo os dados, o ano com mais nomeações de filiados foi 2015, o primeiro do segundo mandato de Dilma Rousseff (PT). Na ocasião, 4.558 vagas (13,1% do total) foram entregues para servidores filiados, sendo a maior parte para o próprio PT.

Em 2019, primeiro ano do governo Bolsonaro, a quantidade de vagas repassadas foi de 3.291 (10,08% do total). O PT seguia com o maior número de cargos comissionados, seguido pelo MDB e pelo PSDB. Ao mesmo tempo, filiados ao PSL e ao Novo dobraram a presença no poder público entre 2018 e 2019.

Dos cargos comissionados com salário bruto mais alto (R$ 16.994,90), 1.088 eram ligados a partidos. PT e MDB, juntos, somavam 649 destas vagas. Os partidos com menor quantidade de cargos são PSOL, PRTB e REDE. O primeiro não tem nenhum cargo nesse escalão e outros dois ganharam um cargo cada entre 2018 e 2019.

    Veja Também

      Mostrar mais