STF
Reprodução: O Dia
Sede do STF será submetida à sanitização para eliminar possíveis focos do novo coronavirus (Sars-Cov-2).

Duas semanas depois da posse de Luiz Fux na presidência do S upremo Tribunal Federal (STF), o prédio será submetido a uma sanitização como forma de eliminar eventuais focos de coronavírus. A preocupação é especialmente com o plenário, onde ocorreu a posse. O evento foi realizado de maneira presencial no último dia 10, com número reduzido de convidados e autoridades. Desde então, oito convidados já testaram positivo para a Covid-19.

Segundo a coluna do jornalista Guilherme Amado, da revista “Época”, uma nona pessoa também foi contaminada: a ministra do STF Cármen Lúcia. A assessoria de imprensa do tribunal não confirma, nem desmente a informação. Na sessão da Segunda Turma de terça-feira, a ministra não estava presente, mas o tribunal não informou o motivo.

Antes da sanitização nas dependências do tribunal, que ocorrerá na sexta-feira, na quinta-feira o sistema de ar condicionado do tribunal será submetido a limpeza. Em agosto, o então presidente do STF, ministro Dias Toffoli, foi internado com pneumonite. Segundo o próprio ministro, a doença foi causada por ácaros do ar condicionado do Supremo.

Fux é um dos contaminados com o coronavírus que estiveram na posse. Ele tem comandado as sessões do STF e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de casa, no Rio de Janeiro, por videoconferência. Fux informou ao GLOBO que receberá alta médica na próxima sexta-feira e na semana que vem estará em Brasília.

Também testaram positivo para Covid-19 os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Benedito Gonçalves, Luís Felipe Salomão e Antonio Saldanha. Também foram infectados o procurador-geral da República, Augusto Aras; a presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministra Maria Cristina Peduzzi; o presidente da Câmara, Rodrigo Maia; e o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Durante a solenidade, ocorrida no plenário do STF, a maior parte dos presentes estava de máscara. Na bancada de honra, foi instalado um anteparo de acrílico para isolar as autoridades umas das outras. Fux retirou a cobertura durante o discurso e outras autoridades fizeram o mesmo quando se aproximaram do microfone. Depois da posse, foi servido um coquetel no próprio tribunal. Nessa parte do evento, algumas pessoas tiraram a máscara, especialmente para posar para fotos.

Depois da posse, houve uma corrida da cúpula do Judiciário para realizar testes para a Covid-19. Os ministro Luís Roberto Barroso, do STF, e Humberto Martins, do STJ, testaram negativo para a doença. Na semana passada, o Supremo informou, em nota, que estava em contato com os convidados da posse para alertar sobre a necessidade de buscarem serviço médico, "caso tenham se exposto de alguma forma também em outros eventos fora do STF".

    Veja Também

      Mostrar mais