Quatro convenções partidárias foram realizadas neste sábado%3A PSOL%2C PCdoB%2C Novo e PV
Montagem/iG
Quatro convenções partidárias foram realizadas neste sábado: PSOL, PCdoB, Novo e PV

Partidos de esquerda e direita confirmaram as candidaturas de seus nomes para a disputa da Prefeitura de São Paulo nas eleições municipais de 2020. Os novos candidatos aprovados em convenções realizadas neste sábado (4) foram Guilherme Boulos (PSOL), Orlando Silva (PCdoB) e Filipe Sabará (Novo). O PV, que tentava lançar Eduardo Jorge, retirou a pré-candidatura e apoiou o atual prefeito Bruno Covas (PSDB).

Em convenção realizada na manhã de hoje, o PCdoB aprovou o nome de Orlando e mais 83 candidatos a vereadores e vereadoras. Não foi definido ainda quem irá formar a chapa com Orlando para a eleição do cargo majoritário.

"Chegou a hora de construirmos uma alternativa para a cidade de São Paulo. Nosso projeto será popular. Será focado nas necessidades da população que mais precisa, nos territórios em que o poder público deve cumprir essencialmente sua função... Estamos prontos para realizar um grande governo", afirmou Orlando em ato político realizado após a convenção que consolidou sua candidatura.

Orlando Silva em convenção do PCdoB
Jennifer Glass
Orlando Silva em convenção do PCdoB

Em seu discurso, o deputado federal disse que, apesar de ele fazer oposição aos governos estadual, de João Doria (PSDB), e federal, de Jair Bolsonaro (sem partido), "não é preciso ser amigo do presidente ou do governador para fazer com que a cidade seja respeitada para garantir o programa do partido".

"Nosso programa vai precisar retomar investimentos em infraestrutura. Há desafios no campo da infraestrutura urbana, sobretudo, bem mais ligados ao saneamento, ao transporte, aos corredores de ônibus, ao tema da habitação, onde falta um milhão de unidades habitacionais para atender nosso povo", completou.

Segundo o parlamentar, uma das primeiras medidas que ele fará caso vença as eleições será um programa de geração de empregos para a recuperação da pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2).

"O drama da Covid-19 que alcançou a todos nós é um drama drama humanitário. Cada vida perdida nos toca profundamente. Por isso que ao mesmo tempo nós apresentaremos um plano de governo para a cidade, para enfrentar desafios centrais, os temas mais importantes para o nosso povo, como educação saúde, moradia, mobilidade, e dedicaremos um esforço extraordinário para construir o plano emergencial para gerar emprego e renda na cidade de São Paulo no ano de 2021", disse Orlando.

Durante à tarde também foi confirmada a candidatura de Guilherme Boulos e de Luiza Erundina para a Prefeitura de São Paulo. O evento de lançamento foi realizado no Morro da Lua, periferia da Zona Sul de São Paulo.

"Erundina e eu temos um compromisso histórico com os mais pobres da cidade de São Paulo e a convenção precisa simbolizar isso", diz Boulos.

Guilherme Boulos discursa durante convenção no Morro da Lua%2C na Zona Sul de São Paulo
Divulgação
Guilherme Boulos discursa durante convenção no Morro da Lua, na Zona Sul de São Paulo

Também participaram da oficialização da candidatura lideranças comunitárias, candidatos a vereança que integram a lista do partido para o pleito deste ano e parlamentares do PSOL, como Carlos Gianazzi e Sâmia Bomfim.

"A Prefeitura precisa ser itinerante, despachando apenas um dia da semana no Edifício Matarazzo e os demais nas subprefeituras, uma de cada região diferente da cidade", afirma o agora candidato. "O prefeito tem que escutar o povo e conhecer suas necessidades de perto", completa.

A convenção foi realizada depois do processo de escolha interna do partido, em julho. A votação elegeu, com 61% dos votos, a chapa Boulos-Erundina como a representante da sigla na eleição municipal deste ano.

Neste sábado também foi confirmada a candidatura de Filipe Sabará e da economista Marina Helena em uma chapa pura do partido Novo. A convenção ainda aprovou mais 35 nomes para vereadores e foi realizada por um sistema drive-thru na Câmara Municipal de São Paulo.

"É uma honra ser o primeiro candidato do Novo para a prefeitura de São Paulo. Somos o único partido que não usa dinheiro público, que quer de fato focar em serviços essenciais para a população e trazer mais oportunidade para todos, sem o Estado atrapalhar. Vamos mostrar isso para a população", afirma Sabará.

PV desiste de corrida à Prefeitura e apoia Bruno Covas

O PV retirou neste sábado a candidatura de Eduardo Jorge pelo partido. Em convenção realizada virtualmente no diretório municipal da sigla, o ex-candidato justificou a retirada dizendo que a avaliação dele e das lideranças foi que seria melhor abrir mão da corrida eleitoral para não criar um cenário que favorecesse a mesma polarização das eleições de 2018.

Seguindo essa ideia, o partido vinha em negociação de aliança com o PSD de Andrea Matarazzo e o PSB de Márcio França, mas as tratativas não avançaram, segundo Eduardo Jorge, após nenhuma das legendas confirmar que não teria "flertes" com o presidente Jair Bolsonaro.

A escolha do PV, por fim, foi apoiar a candidatura do tucano Bruno Covas, que vai disputar a reeleição. Como condição, o partido exige que políticas de proteção ambiental sejam colocadas no centro de atenção do plano de governo do PSDB.

Covas fez uma pequena aparição durante a convenção partidária do PV. Ele agradeceu o apoio e prometeu levar as propostas do programa do partido em consideração. "Vamos nos debruçar sobre elas, identificar o que pode ser feito ainda neste ano, até dezembro, e o que pode entrar para o próximo ano", disse, por meio de videoconferência.

    Veja Também

      Mostrar mais