Laurício Monteiro Cruz
Divulgação / CRMV-DF
Laurício Monteiro Cruz é veterinário e nomeado como diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis

A nomeação de um  veterinário  para o cargo de diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde foi alvo de críticas. Políticos como Ciro Gomes e Manuela d'Ávila se posicionaram contra a decisão do ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello , e ironizam que um “paraquedista” havia escolhido um “médico de bichos” para cuidar da saúde do país - se referindo a Pazuello e ao veterinário Laurício Monteiro Cruz, respectivamente. 

O departamento que Laurício Monteiro Cruz vai comandar é considerado estratégico para as próximas fases de combate à  pandemia de Covid-19 no país com a aprovação da vacina.

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) e o Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo (CRMV-SP) reforçaram que os profissionais da categoria têm competência para integrar programas de combate à Covid-19 em cargos estratégicos.

As duas entidades defendem o conceito da Saúde Única, que representa uma visão integrada das áreas que envolvem o bem-estar humano, animal e ambiental. O conceito foi proposto pela Organização Mundial da Saudê (OMS), em parceria com a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), reunindo a saúde dos três campos em uma só área - e que foi adotado após os órgãos reconhecerem que há um estreitamento entre as doenças humanas e os animais.

Na visão do coordenador técnico do CRMV-SP, Leonardo Burlini, os profissionais de medicina veterinária  tem atuação reduzida nos grandes centros urbanos e, por isso, são vistos como médicos de pets . E reforça que é necessário transformar essa percepção.

“O médico-veterinário possui sólido conhecimento ao longo dos anos sobre epidemiologia, virologia, zoonoses, toda a questão de biossegurança, farmacologia e saúde pública. Então, por si só, a bagagem de formação técnica e vida profissional mostra que [Laurício Monteiro Cruz] é um completo profissional da saúde”, reforça Burlini.

O mesmo departamento do ministério da Saúde, agora conduzido por Laurício Monteiro Cruz, conta com mais de dez veterinários e foi gerido anteriormente por um outro médico da mesma competência, o servidor de carreira Marcelo Yoshito Wada.

O coordenador técnico do CRMV-SP explica que a atuação conjunta desses profissionais na Saúde focada em humanos é reconhecida internacionalmente devido ao conceito de Saúde Única , visão integrada entre saúde humana, ambiental e animal.

“Essas três interações podem ser responsáveis por transmissão de agente infecciosos. A visão dissociada não pode mais existir. A gente vive e convive no mesmo ambiente. Então esse é o conceito e que reforça o papel do médico veterinário [no Ministério da Saúde]”, finaliza.

Nomeação é alvo de críticas

Nas redes sociais, políticos se manifestaram contra a decisão do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello . O ex-presidenciável pelo PDT, Ciro Gomes , disse que qualificou Bolsonaro como "genocida" após a nomeação do veterinário. "Mais de 120 mil brasileiros mortos, 107 dias sem ministro da Saúde e na hora que se discute um passo tão importante como a vacina contra o coronavírus, Bolsonaro nomeia um veterinário. Genocida!".


Manuela D'ávila (PCdoB) também comentou sobre a nomeação com tom de ironia. "Mais de 120 mil mortos pela Covid-19 e temos um general e um veterinário cuidando da saúde do povo brasileiro", escreveu em sua conta oficial. A postagem foi apagada em seguida, momentos depois de ser compartilhada na rede. 

Em entrevistas, o ex-secretário nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, disse que a pasta enfrenta um "desmonte", mas assegurou que não tem nada contra os veterinários. 


Currículo e remuneração

Laurício Monteiro Cruz vai receber um salário de R$ 13.623,29, compatível com a função que irá desempenhar na pasta.

O novo diretor de imunização é presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Distrito Federal (CRMV-DF) e tem experiência em saúde coletiva e vigilância ambiental em saúde epidemiológica, sanitária e vigilância do trabalhador, com ênfase em zoonoses, que são doenças transmitidas dos animais para os humanos.

As qualificações estão disponíveis no currículo virtual do novo membro da Saúde.

    Veja Também

      Mostrar mais