Tamanho do texto

Parasitas conseguiram se alojar em áreas profundas da cabeça da garota. Conselho Tutelar está investigando caso em segredo de Justiça em São Paulo

larvas arrow-options
Reprodução
Criança ao lado da mãe e do médico veterinário que removeu as larvas.

Cerca de 40 larvas foram retiradas da cabeça de uma menina de 7 anos . A criança foi internada no Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande, no litoral de São Paulo. 

Os parasitas causam lesões na cabeça da menina, que chegou na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no dia 3 de outubro. De acordo com informações apuradas pelo g1, a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), a menina seguiu na unidade até o dia 4. Depois seguiu para o Hospital Irmã Dulce.

Leia mais: Suzane Richthofen e Ana Carolina Jatobá vão deixar prisão no Dia das Crianças

Os parasitas conseguiram se alojar em áreas profundas da cabeça da garota e por esse motivo foi solicitada pela equipe médica a transferência para o outro hospital.

A infecção foi causada pelos ovos de mosca depositadas em uma ferida aberta. Conhecida como 'berne', a doença geralmente afeta animais. Em crianças, os ferimentos podem ser causados por piolho e o ferimento pode ter passado despercebido. Um médico veterinário foi acionado pela equipe da UPA para remover as larvas.

Leia também: Líderes da ocupação 9 de Julho, em São Paulo, conseguem liberdade após 100 dias

Os parasitas só foram identificados na cabeça da menina após ela se queixar de fortes dores de cabeça. Ao checar, a mãe se deparou com os buracos repletos de larvas.

O Conselho Tutelar investiga o caso que segue em segredo de Justiça.