Rui Costa, governador da Bahia
Manu Dias/GOVBA
Rui Costa, governador da Bahia


O governador da Bahia, Rui Costa (PT), declarou em entrevista ao jornal O Globo que aceitaria formar uma aliança ampla do PT com outros partidos, até mesmo com o rival histórico PSDB , desde que não estejam "corroborando" com o governo Bolsonaro e "seus atos de truculência ".


O PT e PSDB foram rivais nas eleições nacionais durante 20 anos, entre 1994 e 2014. "Eu diria que [o PT poderia se unir com] todo mundo que não tiver corroborando com esse governo, com seus atos de truculência", disse o petista Rui Costa. 

O governador petista disse que se for necessário dialogará com outros siglas para construir um projeto nacional. "Quantos temas nós já chegamos e já discutimos com o [João] Doria (PSDB), com o Eduardo Leite (PSDB), do Rio Grande Sul. Não tenho nenhum problema em sentar com eles e conversar sobre pilares necessários à nação brasileira, o futuro deste país. Democracia, transformação política e social você só faz com diálogo e com entendimento de conteúdo, de projeto. Se não você vai ficar eternamente refém de bancadas do "toma lá dá cá". Como hoje o governo federal está fazendo. Criticava tanto e está fazendo", disse.

O governador disse ainda que a esquerda não deve se isolar e repercutiu a fala do presidente Lula sobre a possibilidade do PT não ter um candidato à Presidência da República em 2022. Costa disse estar sintonizado com as declarações de Lula. 

"Acho que se optarmos [esquerda] pelo isolamento, vamos aprofundar o pior para este país, correndo o risco inclusive da ambiência democrática. Aí não sei dizer o que será futuro do país", comentou. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários