Jair Bolsonaro de máscara
Marcos Corrêa/PR
Presidente Jair Bolsonaro minimizou a gravidade da Covid-19 desde o início da pandemia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está com sintomas da Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). A informação é da CNN Brasil . Às 20h24, no entanto, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom-PR) confirmou ao iG  que a agenda estava mantida para esta terça-feira (7).

Bolsonaro teve 38 graus de febre nesta segunda-feira (6) e apresentou grau de oxigenação um pouco abaixo do normal para uma pessoa em boas condições de saúde.

Segundo a emissora, a agenda do presidente foi cancelada até sexta-feira como precaução e o resultado de um exame realizado hoje no hospital das Forças Armadas deve ficar pronto até às 12h de amanhã.

No site da presidência, no entanto, ainda consta uma reunião que o presidente teria nesta terça com o ministro-chefe da Secretaria de Governo, o general Luiz Eduardo Ramos. O encontro seria das 15h às 15h30.

Em uma conversa registrada em frente ao Palácio da Alvorada por um de seus apoiadores, Bolsonaro diz que fez uma "chapa do pulmão" e que "tá limpo".

"Eu estou evitando [aproximação com pessoas] que vim do hospital agora. Fiz uma chapa do pulmão, tá limpo o pulmão, tá certo? Vou fazer o exame do covid agora há pouco, mas está tudo bem", afirmou o presidente.

Em seguida, um apoiador perguntou a Bolsonaro se poderia tirar a máscara para fazer uma foto com ele. A princípio, o presidente disse que sim, mas depois emendou uma negativa. "Quer dizer... Não mandei você tirar. Você tirou porque você quis."

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, Bolsonaro já fez pelo menos três testes para a Covid-19, mas se recusava a mostrar os resultados. Depois de uma briga judicial que se arrastou por várias semanas e que chegou até o Supremo Tribunal Federal (STF), o jornal O Estado de São Paulo ganhou uma ação contra o governo, o que o obrigou a divulgar os resultados. A divulgação comprovou que todos eles deram negativos .

Segundo a Advocacia-geral da União (AGU), os exames foram feitos com pseudônimos para preservar a privacidade do presidente. No entanto, nos documentos constavam o RG e o CPF de Bolsonaro, o que comprovou que os resultados realmente correspondiam aos testes feitos por ele.

    Veja Também

      Mostrar mais