Desmatamento na Amazônia continua crescendo, apesar da atuação das Forças Armadas na região
Divulgação/Imazon
Desmatamento na Amazônia continua crescendo, apesar da atuação das Forças Armadas na região

Para combater desmatamento ilegal na Amazônia, bem como focos de incêndio, o presidente Jair Bolsonaro prorroga até julho o uso de tropas das Forças Armadas. A determinação inclui estados de Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Roraima, Tocantins, Mato Grosso e uma parte do Maranhão.

LEIA MAIS: Desmatamento passa de 10 mil km² entre agosto de 2018 e julho de 2019

Entre agosto de 2018 e julho de 2019, conforme dados oficiais do governo federal, a área desmatada na Amazônia foi de 10.129 km², o que representa um aumento de 34,4% na comparação com o período anterior (agosto de 2017 a julho de 2018), quando a área desmatada era de 7.536 km² .

De acordo com estimativas do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), divulgadas em novembro último, a área desmatada entre agosto de 2018 e julho do ano passado seria de de 9.762 km², mas houve uma revisão dos números com base no relatório Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes), o que levou a um número 3,76% acima do que havia sido divulgado.

LEIA MAIS: Queimadas na Amazônia podem piorar crise da Covid-19, alerta Ipam

O novo decreto de Bolsonaro prorroga outro, publicado em 7 de maio, que determinou a atuação das Forças Armadas na região a partir do dia 11 de maio. Ainda conforme o decreto publicado no final da noite desta quarta-feira (10), a atuação das tropas pode incluir áreas estaduais se for necessário.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários