Desmatamento da floresta amazônica é o maior desde 2008
Agência Brasil
Desmatamento da floresta amazônica é o maior desde 2008

A área desmatada na floresta amazônica, entre agosto de 2018 e julho de 2019, foi de 10.129 km², o que representa um aumento de 34,4% em relação ao período anterior, entre agosto de 2017 a julho de 2018. Os números foram divulgados, nesta terça-feira (09), pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Leia também 


No ciclo anterior, entre agosto de 2017 a julho de 2018, o país registrou uma área desmatada de 7.535 km². Já neste último ciclo, entre agosto de 2018 e julho de 2019, o número foi de 10.129 km², o que representa os 34,4% de aumento.

Você viu?

Este é o maior índice desde 2008, quando a pesquisa apontou 12.911 km² desmatados.

O Inpe considera o intervalo entre agosto e julho porque o período abrange tanto as épocas de chuva quanto as épocas de seca na região amazônica. Desta forma, leva em conta os momentos mais cruciais no "ciclo do desmatamento" e é capaz de identificar eventuais influências do clima.

No levantamento atual, quatro estados respondem por 84,5% da floresta desmatada. Com 4.172 km² de área desmatada, o Pará teve a maior fatia. Foram 41,19% de toda a floresta derrubada nestes últimos 12 meses.

Os estados do Mato Grosso, Amazonas e Rondônia ultrapassaram os 1 mil km² de desmatamento e foram, nesta ordem, os estados que mais contribuíram com o aumento da taxa de desmate depois do Pará.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários