Fábio Wajngarten, chefe da Secom do governo
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Fábio Wajngarten, chefe da Secom do governo

O secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, afirmou que não houve  investimento em sites de Fake News por parte da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom). A fala foi feita em uma coletiva de imprensa na noite desta quarta-feira (3).

Leia também: STF autoriza acesso a inquérito das fake news a advogados de investigados

A declaração da Secom foi feita após um relatório realizado pela CPMI das Fake News ter afirmado que o Governo Federal publicou 653.378 anúncios em 47 canais de notícias falsas. 

"A Secom não será usada. A Secom não fez investimento de nenhum real em qualquer blog que seja por minha determinação. Na Secom do presidente Bolsonaro não há desvios, não há favorecimento", afirmou o chefe da secretaria Fábio Wajngarten .

O secretário de Publicidade, Glen Valente, explicou que "o investimento que foi referido na mídia hoje, ele foi utilizado via uma plataforma do Google que chama Adsense , que na verdade ela é utilizada via as agências de publicidade. A secom não compra nada diretamente".

Os dados analisados abrangem canais que mais veicularam inserções da campanha "Nova Previdência" do governo , entre 6 de junho e 13 de julho de 2019. 

O documento da CPMI das Fake News foi produzido por consultores legislativos com base em informações enviadas pela Secretaria de Comunicação Social , por meio do Serviço de Informação ao Cidadão (e-Sic). O relatório da CPMI das Fake News foi revelado pelo jornal O Globo .

Leia também: Deputados acusados no inquérito das fake news dizem ao STF que não vão depor

Veja o pronunciamento da Secom sobre anúncios em sites de Fake News :



    Veja Também

      Mostrar mais