fachada do stf
Agência Brasil
Deputados não reconhecem legitimidade do inquérito

Cinco, dos seis deputados, acusados no inquérito das fake news não pretendem depor ao STF. Alguns dos parlamentares já avisaram ao Superior Tribunal de Justiça que não irão comparecer ao depoimento.

Leia mais:  STF vota dia 10 legalidade do inquérito sobre fake news

Em entrevista à CNN Brasil, o deputado bolsonarista Filipe Barros  (PSL-PR) declarou que já informou ao STF que não vai comparecer ao depoimento. "Diante das flagrantes ilegalidades, inconstitucionalidades e prerrogativas violadas. Ademais, está pendente de julgamento nossos habeas corpus e agora Toffoli (presidente do STF) marcou data para o plenário avaliar o inquérito", afirmou Filipe Barros.

Outro dos deputados a se posiconar sobre o motivo para não comparecer ao depoimento, Junio Amaral  (PSL-MG) afirmou que o inquérito das fake news é ilegal.

"Na minha condição de parlamentar não há porque me submeter a essa ilegalidade. Também por causa do twitte do Alexandre de Moraes afirmando que estamos dizendo mentira sobre não ter acesso aos autos. Mentira dele!", comentou o parlamentar também em entrevista à CNN Brasil.

Saiba mais:  Senado pode votar PL das Fake News nesta terça-feira (2)

A deputada Bia Kicis (PSL-DF), que também não vai comparecer ao depoimento, publicou em seu Twitter que peticionou para ter acesso ao inquérito.

Veja a publicação na sequência:


    Veja Também

      Mostrar mais