Bolsonaro imprensa jornalistas
Reprodução
Presidente Jair Bolsonaro na última vez que conversou com a imprensa, na sexta-feira (15)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem evitado contato com a imprensa desde que seu ex-aliando e empresário Paulo Marinho (PSDB-RJ) afirmou que houve vazamento de uma operação da Polícia Federal (PF) para seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Leia também: Bolsonaro manda jornalista "calar a boca" e nega agressão à imprensa em protesto

A declaração de Marinho foi divulgada no último sábado (16) e depois disso, Bolsonaro deu entrevista apenas uma vez para um jornalista. Nesta terça-feira (19), ele conversou com o jornalista Magno Martins, do Blog do Magno.

Na ocasião, as declarações sobre o suposto vazamento foram mencionadas e Bolsonaro afirmou que Marinho teria que prová-las. "Ele vai ter que provar, não vou entrar em detalhe, quem foi o delegado que teria dito para um assessor do meu filho... É sempre assim, né? 'Ouvi dizer não sei o que lá...'. Não é ouvi dizer", afirmou.

Fora isso, Bolsonaro não conversou com nenhum outro veículo de imprensa. Mesmo suas paradas diárias em frente ao Palácio da Alvorada para responder jornalistas não ocorreram mais. A última foi na sexta-feira (15), dia anterior às revelações de Marinho.

Leia também: Paulo Marinho diz ter provas do vazamento da PF para Flávio Bolsonaro

Marinho afirma que em outubro de 2018, o então deputado estadual Flávio Bolsonaro recebeu informações sigilosas sobre a operação Furna da Onça, antes que ela ocorresse. A operação investigou o desvio de recursos públicos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e tinha como alvo membros do gabinete de Flávio, inclusive seu ex-assessor Fabrício Queiroz.


    Veja Também

      Mostrar mais