Presidente Jair Bolsonaro na última vez que conversou com a imprensa, na sexta-feira (15)
Reprodução
Presidente Jair Bolsonaro na última vez que conversou com a imprensa, na sexta-feira (15)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem evitado contato com a imprensa desde que seu ex-aliando e empresário Paulo Marinho (PSDB-RJ) afirmou que houve vazamento de uma operação da Polícia Federal (PF) para seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Leia também: Bolsonaro manda jornalista "calar a boca" e nega agressão à imprensa em protesto

A declaração de Marinho foi divulgada no último sábado (16) e depois disso, Bolsonaro deu entrevista apenas uma vez para um jornalista. Nesta terça-feira (19), ele conversou com o jornalista Magno Martins, do Blog do Magno.

Na ocasião, as declarações sobre o suposto vazamento foram mencionadas e Bolsonaro afirmou que Marinho teria que prová-las. "Ele vai ter que provar, não vou entrar em detalhe, quem foi o delegado que teria dito para um assessor do meu filho... É sempre assim, né? 'Ouvi dizer não sei o que lá...'. Não é ouvi dizer", afirmou.

Você viu?

Fora isso, Bolsonaro não conversou com nenhum outro veículo de imprensa. Mesmo suas paradas diárias em frente ao Palácio da Alvorada para responder jornalistas não ocorreram mais. A última foi na sexta-feira (15), dia anterior às revelações de Marinho.

Leia também: Paulo Marinho diz ter provas do vazamento da PF para Flávio Bolsonaro

Marinho afirma que em outubro de 2018, o então deputado estadual Flávio Bolsonaro recebeu informações sigilosas sobre a operação Furna da Onça, antes que ela ocorresse. A operação investigou o desvio de recursos públicos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e tinha como alvo membros do gabinete de Flávio, inclusive seu ex-assessor Fabrício Queiroz.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários