Senado Federal não gostou da saída de mais um Ministro da Saúde
Marcelo Casal Jr/Agencia Brasil
Senado Federal não gostou da saída de mais um Ministro da Saúde

A saída precoce de Nelson Teich do Ministério da Saúde repercutiu negativamente dentro do Senado Federal . Os parlamentares ouvidos foram unanimes ao dizer que a saída repentina de Teich mostra um despreparo e irresponsabilidade do governo Bolsonaro .

Saiba mais:  "Achei que podia ajudar o Brasil as pessoas", diz Teich sobre Ministério

Para o líder do MDB, o senador Eduardo Braga (AM), a saída aumenta, ainda mais, a crise no país . Ele ainda afirma que o Brasil precisa de um líder mais equilibrado para conduzir esse momento de crise .

“Esperamos que a escolha do futuro ministro seja orientada por critérios técnicos e que o Ministério da Saúde siga alinhado com a ciência. É fundamental a adoção de medidas rápidas e efetivas para que possamos reduzir ao máximo o impacto dessa calamidade”, escreveu em seu twitter.

Já o líder do PSD, o senador Otto Alencar (BA), criticou duramente a postura do presidente, a quem se referiu como ‘lunático’. “Precisamos urgentemente de um bom psiquiatra para equilibrar o Bolsonaro. O Brasil não merecia isso. Ele não vai mudar. Ele quer enquadrar os protocolos da saúde à caserna, a saúde vai ter que ser enquadrada ao quartel”, afirmou.

Para o senador do PT, Rogério Carvalho (SE), a saída de Teich se deu graças aos posicionamentos diferentes quanto ao uso da hidroxicloroquina , medicamento que ainda não se provou eficaz cientificamente contra o coronavírus .

Você viu?

“Bolsonaro se esconde na ilusão da cloroquina, que não salva vidas! Mais uma vez reforçamos que a responsabilidade das milhares de pessoas doentes dos brasileiros mortos é do presidente”, disse Rogério.

Leia mais:  Teich foi demitido por questão de "foro íntimo", diz Braga Netto

Bolsonaro é favorável a mudar o protocolo do SUS para que o medicamento possa ser utilizado em pacientes desde o início do tratamento . O agora ex-ministro Nelson Teich ficou 28 dias no cargo, após a saída de seu antecessor, Luiz Henrique Mandetta , no dia 16 de abril.

A seguir, veja como alguns outros Senadores reagiram à saída de Teich:




    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários