Maurício Valeixo
Divulgação
Maurício Valeixo

O ex-diretor-geral da Polícia Federal (PF), delegado Maurício Valeixo , depôs na manhã desta segunda-feira (11) na sede da PF de Curitiba (PR) para o inquérito que analisa declarações do ex-ministro da Justiça Sergio Moro sobre possíveis interferências do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na corporação. 

Leia também: Saiba quem é Maurício Valeixo, peça central na crise entre Moro e Bolsonaro

No depoimento, Valeixo afirmou que Bolsonaro  disse a ele que não tinha nada "contra a sua pessoa", mas desejava um diretor-geral com quem tivesse mais "afinidade". O delegado também disse que o presidente o demitiu por telefone.

O testemunho do ex-diretor começou às 10h10 da manhã e terminou às 16h - foram seis horas de testemunho. Valeixo também alegou que não teria pedido para sair do cargo. Seu discurso foi similar ao do depoimento de Moro.

Na tarde desta segunda, o diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), o delegado Alexandre Ramagem que Bolsonaro desejava como novo diretor-geral da PF, também está depondo, mas na sede de Brasília.

Leia também: Fechados com o capitão: O que afasta e o que aproxima Bolsonaro de seus ministros

O ex-ministro da Justiça e sua defesa estão acompanhando ambos os depoimentos. Moro deve ir amanhã à Brasília para acompanhar a exibição da gravação de uma reunião de Bolsonaro com sua equipe ministerial, do dia 22 de abril, que foi mencionada pelo ex-ministro em seu testemunho.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários