homem na frente de multidão
Reprodução Facebook
Apoiadores do presidente chegaram a publicar vídeos elogiando ato nas redes

Alvo de análise da Procuradoria-Geral da República ( PGR ), o ato com pauta antidemocrática realizado neste domingo em Brasília foi convocado através de chamadas apócrifas, sem convocação pública prévia por membros da base do governo Jair Bolsonaro .

Aliados do presidente se engajaram na divulgação da manifestação assim que os primeiros vídeos e imagens apareceram nas redes sociais, ainda na manhã de domingo. À tarde, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, celebrou o ato durante transmissão ao vivo nas redes sociais.

Leia também: Bolsonaro diz que agressão a jornalista é coisa de "infiltrado" e merece punição

Os deputados federais Carla Zambelli (PSL-SP), Bia Kicis (PSL-DF) e José Medeiros (Podemos-MT), por exemplo, além de blogueiros bolsonaristas como Allan dos Santos e Leandro Ruschel, passaram o dia compartilhando fotos, vídeos e relatos da manifestação.

O grupo conservador NasRuas , fundado por Zambelli e que hoje tem como porta-voz o empresário Tomé Abduch, envolveu-se no ato, mas manteve suas lideranças longe. Grupos menores, como Direita Minas e Movimento Brasil Conservador (MBC), também ajudaram na repercussão.

Leia também: Covid-19: Evangélicos, muçulmanos e católicos protestam contra governo da Itália

O grupo Acampamento Com Bolsonaro, ex-Acampamento Lava-Jato, reuniu-se no sábado em frente à sede da PF em Curitiba para protestar contra o depoimento de Sergio Moro. Seus integrantes gravaram um vídeo dizendo que fariam no domingo uma carreata.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários