Deputado Pastor Marco Feliciano
Reprodução/Agência Câmara
Deputado Pastor Marco Feliciano

O deputado federal Marco Feliciano (sem partido) criticou, nesta quarta-feira (29), a decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, de ter suspendido a nomeação de Alexandre Ramagem para comandar a Polícia Federal.

Leia também: Bolsonaro diz que não desistirá de Ramagem na PF

"Se o dr. Moraes quer presidir a República, se candidate em 2022. Por ora, que pare de usurpar a Constituição que deveria guardar", afirmou Feliciano à Folha de S. Paulo. O deputado acredita que a decisão de ministro do STF foi "uma consumada arbitrariedade" e "indisfarçável vontade do Judiciário governar sem ter poderes para isso".

Alexandre de Moraes acatou nesta quarta (29) um pedido do PDT de mandado de segurança que alegava que a nomeação de Ramagem para dirigir a PF era "abuso de poder por desvio de finalidade". A posse dele estava marcada para essa quarta, mas foi suspensa e ele foi substituído por Disney Rosseti, indicado por Moro. Contudo, Bolsonaro ,  que indicou Ramagem, diz que não irá desistir de sua nomeação.

Leia também: Com decisão de Moraes, PF fica sob comando de Disney Rosseti, indicado por Moro

Feliciano , que é aliado de Bolsonaro, afirma que a decisão do STF é baseada em ilações e suposições e atenta contra a Constituição. Ele defende que "o Judiciário não é eleito, por isso não governa" – seguindo o mesmo discurso do presidente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários