Morreu, na madrugada de sexta-feira (13) para sábado (14), Gustavo Bebianno, ex-ministro de Jair Bolsonaro (sem legenda). O executivo tinha 56 anos e sofreu um infarto fulminante.

Leia também: Bebianno teve carreira política em ascensão interrompida prematuramente

Bebianno
Valter Campanato/Agência Brasil
Bebianno

Gustavo Bebianno estava em um sítio com seu filho quando se sentiu mal. Desmaiado, ele foi levado a um hospital da cidade, onde morreu. Nas redes sociais, políticos, como João Doria e Luciano Bívar prestaram homenagens a ele. Outros estadistas também se posicionaram. 

Leia também: Gustavo Bebianno, coordenador da campanha de Bolsonaro, morre no Rio

Bruno Araújo

Presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo lembrou a última vez que viu o ex-ministro. "Convivemos pouco,mas era cristalino que estava com um homem de boa índole, preparado e animado em se apresentar à população do Rio esse ano", escreveu ele no Twitter .

Paulo Marinho

À rádio Bandeirantes , o presidente do PSDB no Rio de Janeiro, Paulo Marinho, definiu a morte de Bebianno como "uma perda para o debate político". Vale lembrar que ele era pré-candidato à Prefeitura do Rio em 2020.

Rodrigo Maia

Rodrigo Maia presidente da Câmara dos Deputados
Agência Brasil
Rodrigo Maia presidente da Câmara dos Deputados

O Presidente da Câmara dos Deputaods, Rodrigo Maia, também usou seu perfil no Twitter para lamentar o ocorrido. "Lamento muito a morte precoce do Gustavo Bebianno. Tivemos um relacionamento muito respeitoso e ele sempre se mostrou correto e equilibrado no trato dos assuntos. Seria mais um bom quadro para a disputa na nossa cidade do Rio. Meus sentimentos aos seus familiares".

Eduardo Paes

Filiado ao Democratas, Eduardo Paes também prestou homenagem: "Lamento o falecimento de Gustavo Bebiano. Nos últimos meses vínhamos conversando muito sobre o Rio e aquilo que nos unia: o grande amor a essa cidade. Especialmente a sua família e seus companheiros de PSDB, manifesto o meu mais profundo pesar".

Janaína Paschoal

Janaina Paschoal
Carol Jacob/Alesp
Janaina Paschoal

Em sua homenagem, a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL) elogiou o trabalho de Bebianno na política e ofereceu condolências à família. "Lamento muito a morte precoce do Gustavo Bebianno. Tivemos um relacionamento muito respeitoso e ele sempre se mostrou correto e equilibrado no trato dos assuntos. Seria mais um bom quadro para a disputa na nossa cidade do Rio. Meus sentimentos aos seus familiares".

Abraham Weintraub

Já o ministro da Educação, deixou claro em seu posicionamento que deixava de lado as diferenças políticas com Bebianno. "Nesse momento, deixo no passado divergências. Manifesto meus sentimentos à família e desejo que ele esteja em paz, em um lugar melhor".

Alexandre Frota

Alexandre Frota
Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Alexandre Frota

O deputado federal Alexandre Frota optou por uma mensagem mais profunda, alegando que "o desgosto da vida matou Bebianno". "Ele se foi e com muitas verdades. O desgosto da vida matou Bebianno. Para uns e outros hoje vai ter festa no Palácio. Para amigos e família a saudade e para o Brasil uma voz importante que se calou. Triste".

Erika Kokay 

Leia também: Bebianno diz que vai processar Bolsonaro

A deputada federal Erika Kokay não ficou de fora e aproveitou o momento para alfinetar o governo. " Gustavo Bebianno sabia muito? Ah, sabia. Com sua morte, segredos e falcatruas da campanha de Bolsonaro à presidência estarão enterrados para sempre. O ex-ministro foi um dos auxiliares mais próximos de Bolsonaro e testemunha ocular de sua chegada ao Planalto".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários