Filho de Lula
Reprodução
Filho de Lula

Em sessão na tarde desta quarta-feira, o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) decidiu enviar a investigação sobre o filho do ex-presidente Lula, o empresário Fábio Luiz Lula da Silva, o Lulinha, para a Justiça Federal de São Paulo, conforme informou o blog do colunista Ancelmo Gois. Com isso, a corte tirou o inquérito da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelos casos da Lava Jato de Curitiba.

Leia também: "Procuradores viciados em holofotes", diz Lula sobre investigação do filho dele

Lulinha é alvo de investigação da fase 69 da Lava Jato, chamada de ‘Mapa da Mina’, deflagrada no final do ano passado. O Ministério Público Federal apura contratos de R$ 132 milhões celebrados pela Oi/Telemar com a Gamecorp/Gol, empresa de Lulinha.

Para os procuradores da força-tarefa, os repasses que a Gamecorp/gol recebeu eram contrapartida a medidas feitas pelo governo do então presidente Lula para favorecer o setor de telefonia.

O tribunal decidiu declinar a competência do caso atendendo a um pedido da defesa de Lulinha, que argumenta que a investigação não tem relação com o escândalo de corrupção investigado na Petrobras.

Leia também: Polícia queria prisão do filho de Lula, mas juíza negou pedido

Na tentativa de manter o caso em Curitiba, os procuradores da Lava Jato juntaram um trecho da recente delação do ex-governador do Rio Sergio Cabral .

No documento, Cabral afirma que teve reunião com Sérgio Andrade, acionista da Andrade Gutierrez, para tratar sobre a contratação da empresa de Lulinha, já que manter o petista próximo seria considerado "estratégico".

Na colaboração, Cabral afirmou que Sergio Andrade pagou valores para Lulinha como compensação em razão de acordos de propina que o acionista da Andrade tinha com o ex-presidente em obras da Petrobras e no setor elétrico.

Leia também:"Daqui a pouco vão dizer que sou filho do DiCaprio", diz Lula sobre Bolsonaro

O MPF pode recorrer contra a decisão sobre a investigação de Lulinha com embargos de declaração e recursos especial e extraordinário. O processo está em segredo de justiça.

    Leia tudo sobre: LULA

    Veja Também

      Mostrar mais