Jair Bolsonaro
Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro negou pedido de governador para prorrogar GLO

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, durante transmissão ao vivo pelo Facebook, que não irá renovar as operações de Garantia da Lei e da Ordem ( GLO ) para o Ceará . O estado vive uma crise na segurança pública depois policiais militares e bomberiros entraram em greve por reajuste salarial.

Durante a transmissão, Bolsonaro disse que "a gente espera que o governo resolva o problema da Polícia Militar do Ceará e bote um ponto final nessa questão". Ele pediu que o governador Camilo Santana (PT) negocie com a PM do estado.

Leia também: Motim no Ceará chega ao 10º dia; veja o que se sabe até agora sobre a crise

"No momento eu não tenho tranquilidade", argumentou Bolsonaro contra a prorrogação para além do prazo de oito dias vigentes, que expira nesta sexta-feira (28). "Precisamos ter uma retaguarda jurídica", afirmou o presidente.

Santana chegou a pedir a Bolsonaro que o decreto fosse prorrogado , uma vez que ele não vê possibilidade de que o caso se resolve no curto prazo. Ao recusar, no entanto, o presidente disse que "GLO não é para ficar eternamente atendendo um ou mais governadores. GLO é uma questão emergencial". Bolsonaro também pediu apoio aos governadores "para que o Parlamento vote o excludente de ilicitude".

Nesta sexta, os policiais pediram como moeda de troca para o fim da greve a anistia aos agentes que aderiram à paralisação e o reajuste salarial.

    Veja Também

      Mostrar mais