Onyx Lorenzoni
Valter Campanato/ABr
Onyx deve assumir o ministério da Cidadania no lugar de Osmar Terra

O presidente Jair Bolsonaro convidou nesta quarta-feira (12) o general Walter Souza Braga Netto , 62, para assumir o ministério da Casa Civil no lugar de Onyx Lorenzoni , que deve ser realocado para o comando da pasta da Cidadania, comandada por Osmar Terra . Atual chefe do Estado-Maior do Exército, Braga Netto liderou o Comando Militar do Leste e, em 2018, foi o responsável por coordenar a interveação militar na Segurança Pública do Rio de Janeiro .

Caso a nomeação venha a ser confirmada, a presença do general no governo federal marca o fortalecimento da ala militar no Planalto. Durante o ano de 2019, o núcleo militar foi aos poucos perdendo espaço para a chamada ala ideológica, capitaneada principalmente pelos filhos de Bolsonaro e seguidores do escritor Olavo de Carvalho.

Apesar de a indicação de Braga Netto agradar o Exército, ela causa atritos com as Forças Armadas, principalmente a Marinha. O descontentamento se explica pela presença forte de oficiais do Exército, seja da reserva ou da ativa, em cargos importantes do governo. Entre os 22 ministros, 5 têm origem na Força terrestre, um na Marinha e outro na Força Aérea.

Leia também: Onyx nomeia delegado da Polícia Federal para substituir Vicente Santini

No caso de Onyx, ele já vinha perdendo poder desde que seu número dois na Casa Civil,  o ex-secretário-executivo José Vicente Santini, usou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para viajar de Davos, onde acontecia o Fórum Econômico Mundial, para Nova Délhi, na Índia, para se juntar à comitiva presidencial. Desde então a pasta começou a passar por um esvaziamento.

    Veja Também

      Mostrar mais