João Doria
Photo Premium / Agência O Globo
O Governador de São Paulo, João Doria

A passagem do presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira em São Paulo expôs mais uma vez o distanciamento político entre ele e o governador João Doria (PSDB). O tucano foi convidado na semana passada para a cerimônia de lançamento da pedra fundamental do colégio militar do Exército na capital paulista, mas não compareceu.

Durante o evento presidencial Doria estava na sede do governo estadual. O governador tinha agendado uma viagem ao interior do estado durante a visita do presidente, mas ela foi cancelada por causa do mau tempo.

Leia mais: Escolas cívico-militares têm regras para visual e notas para conduta de alunos

O projeto de revitalização da área do aeroporto Campo de Marte é uma bandeira de Doria . Na primeira reunião que o governador teve com Bolsonaro em Brasília, em janeiro de 2019, o assunto foi um dos levados por ele ao novo presidente. O tucano quer a desativação do aeroporto e a implantação de um parque no local.

A construção do colégio militar é um primeiro passo para a mudança de uso do espaço.O governador foi representado no evento com o presidente pelo secretário da Segurança Pública, general João Camilo Campos, e o comandante da Polícia Militar, coronel Marcelo Vieira Salles.

Leia também: Crime no ABC: Suspeitas de matar família devem ser ouvidas pela 3ª vez

A parceria política entre Doria e Bolsonaro durou apenas alguns meses em 2019, após o fenômeno " Bolsodoria " nas urnas.O afastamento começou após alguns desentendimentos pontuais. Depois a desconfiança mútua cresceu em relação às aspirações eleitorais de cada um.

Os dois já demonstraram interesse em disputar a eleição presidencial de 2022. Sem Doria, Bolsonaro aproximou-se de outro político paulista, Paulo Skaf(MDB), presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp). Nesta segunda-feira, os dois trocaram manifestações de apoio em público.Outra ausência tucana foi a do prefeito Bruno Covas. Ele tem evitado eventos públicos por causa do tratamento de um câncer.

A prefeitura de São Paulo é parceira do governo federal no projeto de revitalização do Campo de Marte, liderado por Doria quando era prefeito. Ele foi representado pelo secretário municipal de Justiça, Rubens Rizek.

    Veja Também

      Mostrar mais