Damares foi chamada de
Filipe Bispo/Fotoarena/Agência O Globo
Damares foi chamada de "mita" pelo público, composto majoritariamente de apoiadores do governo.

No Dia do Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, nesta segunda (25), a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves convocou uma coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, mas ficou calada durante todo o período. Mesmo quando foi questionada por jornalistas, Damares permaneceu em silêncio , até se retirar do local aparentando estar abalada. 

 Leia também: "Pode tirar o cavalo da chuva", diz Major Olímpio sobre chapa com Covas e Joice

Após cerca de uma hora do ocorrido, a assessoria de imprensa divulgou que o ato era uma encenação para conscientizar sobre o combate à violência contra mulheres. "O objetivo era mostrar como o silêncio da mulher incomoda". 


Depois que a ação foi revelada, Damares realizou um discurso de 23 minutos ininterruptos sobre a data. “Eu fiquei em silêncio para que vocês sintam como é difícil uma mulher ficar em silêncio . Quando eu queria falar tanto com vocês hoje, dizer para vocês dessa campanha belíssima, eu preferi o silêncio. É muito ruim tirar a voz de uma mulher. Era esse o recado que eu queria dar”. 

Você viu?

Leia também: Integrante do MST é atingido por bala de borracha na cabeça em ação de despejo

Ao retornar para o palco, a plateia, composta principalmente por apoiadores do governo, chamou a ministra de “ mita ”, em referência ao apelido de fãs do presidente Jair Bolsonaro , que o chamam de “mito”.

Damares afirmou, durante o evento, que irá ampliar, a partir de janeiro de 2020, a capacitação para atendimento de mulheres vítimas de violência em todas as delegacias, não apenas nas Delegacias da Mulher. Também disse que dois navios serão pintados de rosa na Amazônia, para funcionarem como Casa da Mulher Brasileira, centros de atendimento a vítimas de violência doméstica,  itinerantes.

Como denunciar casos de violência contra mulheres

Leia também: Mortes de policiais caem 35%, mas letalidade da polícia sobe 50% em São Paulo

A denúncia pode ser realizada em qualquer delegacia ou em unidades específicas para mulheres. Outra opção é ligar para a Central de Atendimento à Mulher no número 180 , que está disponível 24h e em todo o país. Outra opção é ligar para a Polícia Militar pelo 190 , em caso de flagrante.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários