Tamanho do texto

Internada desde a morte do irmão, com caso de anemia, Michele do Carmo foi uma das pessoas que apontou a deputada como a mandante do crime

Irmã morta do pastor morto arrow-options
Luciano Belford / Arquivo / Agência O DIA
Debilitada desde a morte do irmão, Michele morreu na noite desta segunda-feira

Morreu, na noite desta segunda-feira (21), Michele do Carmo de Souza, irmã do pastor Anderson do Carmo, casado com a deputada federal Flordelis (PSC) e assassinado a tiros dentro de casa em Niterói, em junho deste ano. A informação foi divulgada pelo vereador Misael, filho da parlamentar, que disse que ela foi vitimada por uma anemia, aos 39 anos.

Leia também: Ameaçado de cassação, deputado do PSL dispara: "Tenho coisa para f* todo mundo"

"Após o falecimento de seu irmão, Michele ficou muito debilitada, e estava internada no Hospital Municipal Carlos Tordelly, para controle da anemia", disse Misael. O enterro será às 17h no Cemitério Parque de Nycteroy, no bairro Laranjal, em São Gonçalo.

Michele chegou a prestar depoimento à polícia no caso que investiga o assassinato de seu irmão, o pastor Anderson do Carmo e apontava a cunhada Flordelis como mandante. Em setembro, ela e sua mãe, Maria Edna, foram autorizadas pela Justiça e pelo Ministério Público do Rio (MPRJ) para serem assistentes de acusação no processo que investiga o crime .

De acordo com o inquérito conclusivo da DHNSG (Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo), o filho biológico da deputada, Flavio , confessou ter atirado seis vezes no padrasto. O laudo da necrópsia contraria a versão contada por ele e aponta que o corpo da vítima apresentava trinta perfurações provocadas por arma de fogo.

Leia também: Bolsonaro 'é uma marionete' dos filhos, diz Delegado Waldir

Lucas , filho adotivo do casal, é apontado como responsável pela negociação da arma usada por Flávio no dia do crime. A pistola Bersa, calibre 9 milímetros, foi encontrada dias depois do crime no quarto usado por Flávio.