Tamanho do texto

Marcelo Álvaro Antônio já foi denunciado por suspeita de participar de um suposto esquema de candidaturas laranjas em Minas Gerais

Marcelo Álvaro Antônio de terno arrow-options
Valter Campanato / Agência Brasil
Ministro do Turismo foi indiciado pelo MP

O Ministério Público pediu nesta quarta-feira (9) a abertura de uma nova investigação contra o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio , por um suposto esquema de caixa dois na eleição do ano passado. Segundo reportagem do G1, mais duas testemunhas se apresentaram para depor sobre o caso.

As duas trabalharam na campanha do atual ministro e foram contratadas por Ivanete Nogueira, vice-presidente do PSL . Em uma depoimento à Polícia Federal (PF), Ivanete disse que parte da campanha foi financiada por caixa dois. Segundo ela, R$ 17 mil foram dados a ela em cédulas dentro de uma caixa de papel para que ela fizesse pagamentos.

Leia também: Ministro do Turismo é indiciado por candidaturas laranjas do PSL

Uma das mulheres que não quis se identificar disse ter recebido R$ 500 em dinheiro vivo por 18 dias de trabalho. “No primeiro momento, seria feito o pagamento em cheque. Mas, no dia foi feito em dinheiro, em espécie mesmo. No contrato que foi feito de serviço, nós assinamos o recibo no dia. E nós não ficamos com nenhuma das vias”, diz.

De acordo com a lei eleitoral, é permitid fazer pagamento em espécie em valores de até R$ 500. Se o valor for maior, o pagamento tem que ser feito em cheque ou transferência bancária. Nas duas situações, a emissão de recibos e a prestação de contas são obrigatórias.

Leia também: Depois de Frota, PSL trava embate com deputada que denunciou laranjal

No caso de Ivanete, os recibos que ela entregou não estão na prestação de contas de Marcelo Álvaro Antônio.