Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi indiciado pela PF
Valter Campanato / Agência Brasil
Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi indiciado pela PF

Em depoimento à Polícia Federal, uma dirigente do PSL de Minas Gerais afirmou que o pagamento da campanha do hoje ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, fora entregue em dinheiro vivo dentro de uma caixa da grife Lacoste. Além disso, os serviços foram feitos sem recibo. As informações são da Folha de S.Paulo

Leia também: Depoimento de ex-assessor e planilha revelam possível caixa dois de Bolsonaro

Ivanete Maria da Silva Nogueira era vice-presidente do PSL em Conselheiro Lafaiete, a cerca de 100 km de Belo Horizonte. De acordo com ela, um dos assessores do ministro do Turismo não quis receber os recibos dos serviços prestados na campanha. Marcelo Álvaro Antônio enfrenta uma denúncia por caixa dois e foi indiciado por suspeita de envolvimento no caso de candidaturas laranjas do partido. 

Em depoimento, Ivanete contou que contratou vários panfleteiros e organizou o evento de abertura da campanha. Álvaro Antônio teria dito a ela que "todas as tratativas referentes ao pagamento da campanha seriam realizadas por Jandir", em referência ao assessor Jandir Vieira Siqueira. 

Você viu?

"No dia 5 de outubro de 2018, Jandir entregou à declarante a quantia de R$ 17 mil em dinheiro. A quantia estava guardada em uma caixa branca da marca Lacoste", diz um trecho do depoimento. Ela afirma ainda que, após as eleições, entrou em contato com Jandir para entregar os recibos, mas ele disse "que não precisava e que estava tudo ok". Depois disso, não atendeu mais as ligações. 

Ivonete conta que ela e mais duas pessoas não foram pagas pelos serviços prestados na campanha. Além disso, nenhuma das pessoas que receberam figura na prestação de contas do PSL. 

Leia também: Bolsonaro se irrita com perguntas sobre denúncia de ministro do Turismo

Procurada pela Folha , a defesa do ministro do Turismo afirmou que Ivanete não trabalhou na campanha e que o depoimento "não procede". "O que pode ter ocorrido é a distribuição e panfletagem, por parte de Ivanete, de algum material gráfico consistente nas chamadas 'dobradinhas', neles contendo a imagem do então candidato a deputado estadual Celton Mesquita e do Marcelo Álvaro como candidato a federal", diz o advogado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários