Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio,  foi indiciado pela PF
Valter Campanato / Agência Brasil
Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi indiciado pela PF

O líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), disse que, se estivesse no lugar do ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio ( PSL ),  denunciado pelo Ministério Público Eleitoral de Minas Gerais , sairia do cargo para se concentrar em se defender das acusações. O ministro e mais 10 pessoas foram denunciadas por crimes relacionados à apresentação de candidaturas de fachada do PSL nas eleições de 2018.

Leia mais:  Joice Hasselmann terá que tirar do ar ofensas a Dimenstein, determina Justiça

De acordo com o órgão, na condição de presidente estadual do partido, Álvaro Antônio participou da inscrição de candidaturas-laranja de mulheres que não estavam dedicadas, de fato, à disputa, para permitir o desvio de recursos do fundo eleitoral.

"Eu, particularmente, no lugar do Marcelo Álvaro, eu pediria para sair do ministério para me defender com os argumentos na Justiça e retornaria à Câmara dos Deputados, onde ele tem mandato para se defender, e usar o microfone para defender o seu governo".

Você viu?

Major Olímpio frisou, porém, que a decisão de remover Marcelo Álvaro do cargo cabe apenas ao presidente.

Leia também: Aras fecha comando da Lava-Jato e de investigações crimin ais

"Sendo um cargo de confiança do presidente Bolsonaro, a decisão da manutenção do Marcelo Álvaro, mesmo com indiciamento pela Polícia Federal, é uma decisão pessoal do presidente. Lembrando que indiciamento não significa pré-julgamento ou que já se esgotaram as chances de se defender".

Após a notícia do indiciamento vir a público nesta sexta-feira, o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros,  informou que Bolsonaro decidiu manter o ministro no cargo,  apesar das acusações que pesam contra ele.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários